fio de lua (ou XIII, a Carta da Morte)

Poesia da iminência. Para ser lida na espera. O Antes que toca como um raio da Morte, da Carta XIII. O fio pode ser quebrar. Não é qualquer fio. É de prata, de lua, é fio feminino. Ou fecundo, se fosse sêmen.

Salgado e clair de lune. O fio pode deixar Ariadne se perder no labirinto. Para ela se reencontrar era só mergulhar nessa ordem universal, que é magma, onde Maiara foi achar seus poemas iluminados como cartas do Tarô, trazidos do centro da terra, do secreto do bosque, dos líquidos do corpo da mulher.

Anúncios

Sobre maiaragouveia

http://maiaragouveia.com
Esse post foi publicado em alfredo fressia. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s